Muitos mercados estão em crise, o mercado de leilão de arte mostra que não. Na última segunda-feira (11/05), a casa de leilões Christie’s vendeu a tela “As Mulheres de Argel (Versão ‘O’)”, pintado por Pablo Picasso em 1955, pelo valor de US$ 179,4 milhões, aproximadamente R$ 537 milhões, tornando-se o quadro mais caro da história dos leilões de arte.

leilao-christie-picasso-recorde

Após ser exposto aos compradores, em menos de 11 minutos os lances bateram o recorde anterior, pertencente ao quadro “Três Estudos de Lucian Freud”, um tríptico de Francis Bacon arrematado, em 2013, por US$ 144,2 milhões (R$ 427 milhões), em leilão também realizado na Christie’s.

A noite teve como tema/título “Looking Forward to the Past” onde foram foram escolhidas obras de arte do passado com inovações artísticas que inspiram obras do presente..

“A partir do momento em que anunciamos o tema do leilão, os colecionadores do mundo todo abraçaram o conceito e foram se preparando para selecionar obras para o leilão”, observou Jussi Pylkkänen, presidente global da Christie’s. “Mais de 70% das obras incluídas foram mostradas nas exposições mais importantes do mundo e englobam mais de 100 anos de modernismo, a começar pela tela Le Parlement de Claude Monet (1901) até a figura de cera do artista Urs Fischer representando Rudolf Stingel (2011)“.

Tratando-se de Picasso, o recorde anterior de uma obra do artista espanhol era de US$ 106.4 milhões, valor da tela “Nu, Folhas Verdes e Busto” (1932), vendida pela Christie’s em 2010.

Nu, Folhas Verdes e Busto (1932)

No vídeo divulgado pela casa de leilão inglesa, podemos ver os momentos que fizeram desta noite um marco para o mundo da arte:

Infos: Christie’s